Aprenda francês em 10 anos

O título do post é uma referência ao artigo que Alessandro Brandão (do English Experts), escreveu. Estamos na cultura do imediatismo, queremos tudo “pra ontem” e isso também se aplica quando vamos aprender uma língua estrangeira.

Veja bem, já fui imediatista também e com os anos fui me conscientizando de que na vida tudo é um processo. Por exemplo, se você é aluno de Letras e quer ser doutor em Linguística Aplicada primeiro vai ter que fazer sua graduação (4 anos), depois o mestrado (2 a 3 anos) e depois o doutorado (3 a 4 anos). Isso se não acontecer nada no meio do caminho e você tiver que mudar seus planos.

Semanalmente de 4 a 5 pessoas me ligam “pedindo” para aprender inglês em 3 meses (e até menos!) por causa de uma viagem, entrevista de trabalho e razões afins. Explico, pacientemente, que realmente não é possível aprender (e reter) tudo o que querem aprender em tã pouco tempo porque nosso cérebro simplesmente não dá conta, a não ser que você estude 8 horas por dia (o que não é o caso para nenhum dos que me ligam).

Aonde eu quero chegar: seja paciente. Um dia de cada vez. Aprender um idioma estrangeiro envolve muito mais do que memorizar listas de palavras, conjugações verbais ou regras gramaticais. É um processo diferente para cada pessoa e minha dica é: seja persistente, disciplinado e estude todos os dias. Revise, leia, interaja!

De novo: um dia de cada vez.

Receba mais dicas de francês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook. Bons estudos!

2.jpg

Adir Ferreira

Adir Ferreira é professor e tradutor de inglês e espanhol há 18 anos. Também fala francês e trabalha com educação corporativa, treina professores e ministra workshops sobre metodologia.

5 comentários

  • 12/09/12  
    Lizete Calloni diz: 1

    Olá Adir, tudo bem? Primeiramente meus cumprimentos pelos excelentes artigos e pelas dicas de Francês que são fantásticas, sempre leio e acompanho com muito prazer!
    Em relação ao artigo: “Aprenda Francês em 10 anos” , concordo com você, não é fácil aprender uma nova língua em tão pouco tempo, é claro que algumas pessoas tem mais facilidade mas para maioria é um processo lento. Eu tive a oportunidade de aprender na prática no país de origem, a França, mas com o passar do tempo se não temos a continuidade, conversação, o estudo, vamos esquecendo algumas coisas, por isso é importante estar sempre praticando, estudando.
    Grande abraço e aguardo as próximas dicas.

  • 12/09/12  
    Fabiana diz: 2

    Ótimo post! Aprender um novo idioma para alguns é fácil e para outros difícil, mas tem sempre que ter paciência, persistência e disciplina. Estudar sempre e sempre manter contato com o idioma.

  • 14/09/12  
    Gabriel Buffon diz: 3

    Nossa é sempre o q meu pai diz para mim:um passo de cada vez… Muito legal o post de hoje,parabéns pelo trabalho!
    Gabriel,13 anos

  • 15/09/12  
    César diz: 4

    Boa dica e que sirva de alerta para quem está a começar a estudar ou está a reforçar (esses, na sua maioria já tem uma noção do que é preciso “pour atteindre son but”).

    De fato é ridículo termos de engolir…ops ouvir pessoas que desejam apreender em tão pouco tempo, esta mentalidade pragmática não traz bons resultados, mas sim dissabores e pode ser constrangedor dependendo da situação, isto para quem almeja utilizar na sua vida profissional e principalmente quando se tem alguma visibilidade (o que é o caso geral das pessoas).

    O “Saber-fazer”, o “know-how” ou “savoir-faire” c’est très important!

    E quem pretende alcançar um bom nível de qualidade linguística, mesmo pensando com alguma prepotência que já sabe tudo, precisa forçosamente de cumprir um programa na sua íntegra e não meia dúzia de palavras em 3 meses cantando de galo: “qui parle couramment”…”Oh Mon Dieu”!!!

    Ainda recentemente, tive a oportunidade de conhecer uma pessoa que afirmou categóricamente que aprendeu o francês “fluentemente” em 3 meses.

    Acreditam?!

    Honnêtement, je ne crois pas!

    Au revoir.

  • 20/09/12  
    José Solon diz: 5

    Concordo por experiência própria. Por gostar de francês, fiz Aliança desde aprox. 12 anos de idade (1969) até o Nancy I. Recentemente, redescobrí pela Internet meu amor pela língua Francesa. Comecei a escutar, sem sofrimento, ao francês mesmo nos filmes dublados, etc, etc. Concordo e rel. a tudo. Ex. uma facudade ‘rápida’ vai formar um aluno que não teve tempo de conviver com sua área e vai ser, com certeza um profissional muito inferior àquele que fez um curso completo, extensão, leituras, etc. A própria leitura dinâmica é anacrônica, pois é lendo no seu tempo que vai haver tempo de assimilação e, principalmente reflexão.
    À bientôt, professeur.